Crônicas Fragmentadas

Piloto
Um Mal Começo

Os herois são contratados pelo conde de Forja-Maior para eliminar dois generais Orcs que sobreviveram ao último combate de uma longa guerra entre essas criaturas e o povo do condado. Depois de uma jornada cansativa de um dia, os herois chegam ao Templo Perdido da Fenda das Cerejeiras.

O Templo em si possui uma arquitetura impossível, se projetando dos dois lados da fenda e com essas duas partes conectadas por uma ponte.

Ao se aproximarem do portão do Templo os herois são surpreendidos por flechas vindas das janelas da edificação. Em uma tentativa de retomarem a dianteira em relação aos seus inimigos os herois tentam tacar fogo nas persianas das janelas, mas uma ventania repentina o apaga. Felizmente, mesmo sendo rapidamente apagado o fogo serviu de distração o suficiente para os herois conseguirem pular por uma fresta acima do portão trancado.

Lá eles se deparam com dois Orcs que são facilmente derrotados. Um é morto rapidamente enquanto o outro é apenas nocauteado. Uma vez devidamente imobilizado os herois interrogam o Orc sobrevivente e descobrem que há mais de dois generais "vivos" naquele templo. O prisoneiro entretanto pede em troca uma morte por combate que infelizmente não é concedida. Preste a duelar contra Morel, o Orc é atacado pelas costas por Malbak que temia que ele estivesse tramando alguma coisa. Curiosamente, telhas caem entre o Orc e Mulbak o que alerta a critura, mas não a tempo de salvá-la do golpe de Mulbak.

Os herois então exploram os arredores e encontram um pergaminho de Imagem Maior. Seguindo os caminhos do Templo eles se deparam com a sala de treinamento dos Eladrins, que não passa de um buraco com vários galhos fazendo um chão bastante inconstante. Lá havia uma pedra-monumento com os dizeres:

“Este é um momento sagrado. Um momento sacramental. Um momento no qual um elfo sente Deus tão próximo quanto seu próprio fôlego. 
 
Que piedade desconhecida nos poupou neste dia? Que clemência do divino desviou a lança do inimigo um palmo de nossa garganta e guiou fatalmente em direção ao peito do querido camarada ao nosso lado? Por quê ainda estamos aqui sobre a terra, nós que não somos nem melhores, nem mais corajosos, nem reverenciamos mais os ceús do que nossos irmãos que os deuses enviaram para o inferno?” 

Preso nos galhos de cabeça para baixo os herois encontram um dos generais Orc, Slog o Profano. Os herois negociam com ele que eles o libertariam, mas em retorno Slog teria que indicar o caminho para onde estão os outros dois generais Orc.

Durante o caminho os herois conversam com Slog e descobrem que aquele templo foi construído pelos Eladrins para cultuar o deus-Eladrin da Guerra e que as estruturas quase possuem vida e punem aqueles que não são valorosos em combate.

No meio da travessia da ponte que liga as duas partes do Templo os Herois e Slog são surpreendidos por uma forte ventania que quase derruba Malrus, Slog e Malbak. Theron Rask ajuda Malrus a não cair enquanto Malbak com sua agilidade consegue se levantar sozinho. Já Slog é ajudado por Arajorge.

Aceitando o destino que irá morrer em breve, Arajorge decide que irá pelo menos levar alguém com ele e tenta atacar Arajorge que consegue soltar uma magia para se proteger por instinto. Irritado pela situação Morel, puxa Slug e um combate se inicia.

Ao perceber que não tem muita chances de vitória Slog tenta fugir, mas o templo não permite ações covardes e o prende a ponte. Slog acaba sucubindo a lâmina de Theron Rask.

Perto da outra edificação do Templo, os herois são surpreendidos por flechas o que os agilizam a correr para dentro do Templo. Seguindo os padrões da exótica arquitetura Eladrin há um jardim de cerejeiras dentro da edificação e o general Urag esperava por eles lá.

O combate foi longe e sangrento. Os herois saem vitoriosos conseguindo matar Urag, mas Arajorge e Malrus sucunbem à lâmina do grande general Orc.

View
Piloto - Parte 2

Segue a sessão segundo o Yuri.


"Resumo da partida: eu e Gabriel fomos ressuscitados pelo Deus da guerra eladrim, pois fomos valorosos no combate. Ele demorou mais e ficou sendo atendido pelo malbec (bardo rafinha). Theron, Morel e Malrus subiram pra caçar o último orc. Ele estava já ferido, mas invocou as estátuas do lugar. Uma delas, enorme, o cobriu e o protegia, como uma espécie de armadura constructo. Nós vencemos depois de errarmos muitos ataques e quase perdemos Morel. Porém todos souberam claramente que a vitória na guerra foi a partir de traição e decidimos tirar isso a limpo com o conde que nos contratou. Malrus e o personagem do Gabriel sentem que eles tem a missão dada pelo Deus da guerra de reestabelecer o equilibro que foi perdido pela trairagem.


Paramos voltando pra cidade e pensado como iremos esclarecer as coisas."

View
De volta a Forja Maior

Depois de terem terminado sua missão de exterminar os dois generais Orcs restantes, os herois retornam a Forja-Maior atrás de seus pagamentos e de verdades.

Os herois se reunem na taverna Folhas Casadas e Theron vai ao encontro do Major Rhodar Wolf para receber o pagamento e quem sabe auxílio para descobrir o que realmente aconteceu na guerra entre os Orcs.

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.